Advogado morre em discussão pelo Palmeiras na final do Mundial após levar soco

Advogado morre em discussão pelo Palmeiras na final do Mundial após levar soco

13 de fevereiro de 2022 0 Por Redação Em Notícia

Celso Wanzo foi socorrido e encaminhado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos

  • Agressor pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado em Rio Preto (SP).
  • Outro homem morreu na capital paulista após briga entre torcedores do Palmeiras.

Um advogado de 58 anos morreu depois de levar um soco na noite de sábado (12), em um condomínio localizado no Jardim Pinheiros, em São José do Rio Preto (SP). De acordo com o boletim de ocorrência, Celso Wanzo e outro morador do condomínio discutiram por causa de um jogo de futebol. A briga teria sido motivada pelo resultado da partida entre o Palmeiras e o Chelsea na final do Mundial, em que o time brasileiro perdeu por 2 a 1.

Celso foi agredido com um soco e ficou desacordado. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital de Base. Contudo, não resistiu aos ferimentos e morreu, ainda segundo o B.O. A Polícia Militar foi acionada e localizou o agressor de 44 anos. Ele foi encaminhado à Central de Flagrantes, onde ficou preso.

O caso foi registrado como lesão corporal de natureza grave, já que durante o registro policial a vítima estava viva. A Polícia Civil arbitrou fiança de R$ 5 mil, o valor foi pago e o homem foi liberado. Com a morte de Celso, o boletim de ocorrência deve ser alterado. O caso continua sendo investigado.

Morte na capital paulista

Outro torcedor do Palmeiras morreu na capital paulista neste sábado (12), após briga. O agente penitenciário José Ribeiro Apóstolo Jr., suspeito do crime após a derrota do time no Mundial de Clubes, foi preso. Em depoimento à polícia, ele afirmou ter atirado “em legítima defesa”.

O suspeito foi autuado em flagrante por homicídio qualificado. De acordo com o delegado Maurício Freire, da Divisão de Operações Especiais, José que disse foi cercado por torcedores e que, apesar de ter dito a eles que também é palmeirense, teve o celular arrancado das mãos.

O agente então teria corrido e mostrado algumas vezes que estava armado. Segundo o depoimento, José diz só ter atirado quando foi atacado pelos torcedores que o perseguiam.

Segundo o delegado afirmou em entrevista coletiva, foi identificada uma quadrilha de roubo de celulares nas imediações do estádio e outros torcedores realmente foram atrás do suspeito. O agente penitenciário tem porte e posse de arma.

Policiais soltam bombas de efeito moral nos arredores do Allianz Parque após fim do jogo em que Palmeiras perdeu para o Chelsea — Foto: TV Globo

Policiais soltam bombas de efeito moral nos arredores do Allianz Parque após fim do jogo em que Palmeiras perdeu para o Chelsea — Foto: TV Globo