Dificuldade nos games: encontrando um equilíbrio entre o casual e o hardcore

Dificuldade nos games: encontrando um equilíbrio entre o casual e o hardcore

2 de março de 2022 0 Por Alan Henrique Pardo de Carvalho

*por Alan Carvalho, coordenador do curso de jogos digitais da Faculdade Impacta 

Os jogos eletrônicos tem tido uma aceitação cada vez maior em nossa sociedade. A Pesquisa Game Brasil (PGB) 2020 pela PGB mostrou que mais de 73% da população brasileira utiliza-se de jogos como um meio de entretenimento, até como forma de relaxar depois de atividades estressantes como o trabalho ou o estudo. Claro que, como qualquer outra forma de diversão, é importante evitar exageros e saber dosar o tempo que dedicará aos games.

Um ponto interessante nisso é que existem perfis distintos de jogadores e entre eles podemos pensar na forma como os jogadores se relacionam com os jogos. Assim, destacamos os casual gamers e os hardcore gamers, embora haja outros comportamentos entre os jogadores. Quando falamos de casual gamers, estamos falando de jogadores que buscam jogos que, pela sua rapidez e simplicidade de aprendizado, são amplamente acessíveis, como por exemplo Animal Crossing: New Horizons, The Sims 4 ou Among Us. É importante notar que, mesmo tendo um gameplay mais simples e intuitivo, não significa que sejam jogos de menor importância.

Já no caso dos hardcore gamers, são pessoas que costumam dedicar muito tempo para os jogos, diferentemente dos casual gamers. Assim, eles podem vir a buscar jogos com desafios ou mesmo ambientes mais complexos do que jogos casuais, com ênfase na ação, na competição, nas comunidades que se formam ao redor dos jogos e buscam saber de todas as novidades em termos de hardware e software, ou seja, bem ao contrário dos jogadores casuais. Jogos como Darksouls, The Last of Us Part II ou Red Dead Redemption 2 atraem jogadores hardcore.

Existem diversas diferenças entre esses perfis de jogadores, inclusive no que se refere à faixa etária predominante de cada um. Na já citada Pesquisa Game Brasil pode-se verificar que a faixa etária dos que preferem jogos casuais está entre 25 e 34 anos, enquanto a faixa etária dos que preferem os jogos hardcore está entre 16 e 24 anos. 

Como existe essa diferença, pode-se pensar que seria lucrativo e interessante para as empresas se conseguissem juntar esses perfis em sua plataforma ou jogo. Porém, isso não é tão simples, tendo em vista que são grupos bem distintos e que veem os jogos de forma diferente, mesmo que no final tendo o mesmo intuito, que é o entretenimento.

É quão importante é a mescla desses dois nichos?

Existe uma tendência a se pensar que, com os jogadores hardcore dedicando-se mais tempo aos jogos, uma maior atenção dos desenvolvedores e das publishers deveria ser dada aos jogos preferidos por jogadores desse perfil, mas ao mesmo tempo há uma grande quantidade de pessoas que preferem outros tipos de jogos.

Isso fez com que a Nintendo, por exemplo, tentasse conquistar a parcela de pessoas entre 25 e 34 anos colocando muitos jogos casuais na plataforma, mas essa estratégia foi um erro admitido pelo próprio presidente da empresa. Ela fez com que os que jogadores antigos, aqueles com um perfil mais hardcore, não levassem a plataforma a sério e também não conseguiu fazer com que os jogadores casuais jogassem por mais tempo, algo que não costuma fazer parte do perfil desse grupo.

Achar algum jogo que unisse esses dois perfis seria algo perfeito, talvez assim conseguindo segurar o público casual e satisfazer o público hardcore. Um jogo que talvez tenha chegado perto desse objetivo é o Fall Guys, que teve enorme aceitação e atingiu 1,5 milhão de jogadores nas suas primeiras 24 horas após o lançamento, com mais de sete milhões de cópias vendidas na Steam e sendo considerado o jogo mais baixado da PS Plus em todos os tempos. Nele há desafios, como avançar em pula-pula até chegar no topo, equilibrar-se em coisas que estão mexendo, entre outros mas, por incrível que possa parecer, é fácil de ser jogado. São necessárias apenas três teclas que são ensinadas logo no início do jogo. Há diversas fases com desafios, iniciando com 60 jogadores e vai diminuindo conforme o avançar de fase até que no final o vencedor conquista uma coroa.

Essa busca pelo equilíbrio é algo que se mostra importante tanto para as plataformas, para os desenvolvedores e para o público, trazendo possibilidades muito interessantes para jogadores casuais e para os jogadores hardcore, dando às pessoas opções variadas e não focar somente em um ou em outro perfil, embora essa seja uma decisão que dependerá muito do posicionamento estratégico da marca e dos movimentos do próprio mercado.

Por isso, não se pode afirmar que essa mescla seja uma tendência, ainda que se mostre algo muito interessante e que traz diversas possibilidades, permitindo atingir jogadores com perfis distintos. É algo que sem dúvida compensa acompanharmos com atenção.