Lula tem favoritismo consolidado no Nordeste

Lula tem favoritismo consolidado no Nordeste

8 de novembro de 2021 0 Por Redação Em Notícia

Ex-presidente tem mais que o dobro de vantagem para o segundo colocado, o atual presidente Jair Bolsonaro

Há um ano das eleições presidenciais de 2022, é notória a polarização entre o ex-presidente Lula e o atual presidente, Jair Bolsonaro, de acordo com pesquisas científicas divulgadas no país, ao longo de 2021, entre os pré-candidatos à Presidência da República.

Apesar do equilíbrio maior em regiões como Sul e Sudeste, levantamentos realizados na região Nordeste, ao longo dos últimos meses, mostram que ainda é larga a margem de vantagem para Lula da Silva, apesar do desgaste que sofreu nas Capitais e dos resultados pífios das eleições municipais de 2020 para o PT.

Em quase todos os levantamentos, Lula aparece com mais de 50% dos votos, enquanto Bolsonaro oscila na casa de 20% na maioria deles. Para se ter uma ideia, se o Nordeste fosse um país, Lula venceria em 1º turno o pleito, segundo as mesmas pesquisas.

No último pleito presidencial, os 9 estados da região formaram um ‘cinturão vermelho’ em prol do então candidato Fernando Haddad à Presidência, derrotado em 2018. Desde aquele ano, porém, o presidente eleito tem adotado uma intensa agenda administrativa no sentido de reverter a tendência petista.

Por tudo isso, o Nordeste é, sem dúvidas, um campo de batalha política, que já assiste aos duelos de 2022. No mês de agosto, Lula fez um verdadeiro périplo pela região, relembrando programas sociais de seu governo, a exemplo do Bolsa Família e do Luz Para Todos, como quem deseja ressuscitar no povo a memória de seus governos, embora que sofra com o desgaste de escândalos de corrupção.

Por outro lado, Bolsonaro enfatiza seu trabalho na conclusão de obras inacabadas da gestão petista, como a Transposição do Rio São Francisco, bem como amplia programas sociais, tornando-os mais abrangentes, a exemplo do Auxílio Brasil, mas enfrenta desgastes com a alta dos preços, sobretudo dos combustíveis e do botijão de gás.

Se os números estiverem certos, eles revelam o tamanho do desafio que o atual presidente tem na região para conquistar apoios em 2022, mas ao mesmo tempo mostram que Lula não pode jogar parado, pois os números podem mudar ao sabor dos resultados da economia e de outros fatores políticos.

Confira, a seguir, levantamentos feitos em todas os estados da região ao longo dos últimos meses.

PARAÍBA (Arapuan/Opinião, em 30 de Agosto)

LULA - PT 52%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 18%

Pernambuco (Blog do Magno/Opinião, em 24 de Outubro)

LULA - PT 51%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 17%

Rio Grande do Norte (Blog do BG/Consult, em 20 de Outubro)

LULA - PT 46%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 25%

Ceará (Paraná Pesquisas, em 16 de Setembro)

LULA - PT 45%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 20%

Maranhão (Instituto Exata, 23 de Março)

LULA - PT 69%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 16%

Alagoas (Instituto Ibrape, 22 de Julho)

LULA - PT 55%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 26%

Piauí (PoderData, 21 de Outubro)

LULA - PT 63%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 17%

Bahia (Paraná Pesquisas, 21 e Outubro)

LULA - PT 47%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 23%

Sergipe (DataLô, 29 de Setembro)

LULA - PT 50%
BOLSONARO - SEM PARTIDO 23%