Caminhoneiros bolsonaristas bloqueiam 16 cidades em 3 estados

Caminhoneiros bolsonaristas bloqueiam 16 cidades em 3 estados

8 de setembro de 2021 0 Por Redação Em Notícia

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que até o momento há 16 cidades em 3 estados que estão bloqueadas por caminhoneiros bolsonaristas, sendo Garuva, Joinville, Mafra, Santa Cecília, Guaramirim e Campos Novos. No No Paraná, as manifestações ocorrem em Paranavaí e Maringá. No Espírito Santo há bloqueios em oito municípios.

De acordo com a Folha de São Paulo, caminhoneiros independentes aderiram à paralisação nesta quarta, um dia depois dos atos pró governo Bolsonaro no Dia da Independência, mesmo sem apoio formal das entidades.

Segundo algumas líderes da categoria, as pautas defendidas nas manifestações são distintas das propostas pelas associações de caminhoneiros, como o apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Em comum, a briga pela redução no preço dos combustíveis, mas com acusações políticas diferentes.

Em Santa Catarina, a concentração, que começou ainda na terça-feira (7), localiza-se no cruzamento entre a BR-116 e a BR-282. Segundo líderes ouvidos pela Band FM, não há previsão de quanto tempo seguirão com a paralisação. Veículos de passeio, da área da saúde e com cargas perecíveis estariam liberados para passar pelo bloqueio rodoviário.

Em nota, Fetranspar repudia fechamento de estradas

”A Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná – FETRANSPAR, que representa mais de 20 mil empresas no Estado, repudia atos que fecham diferentes pontos em rodovias nesta quarta-feira (08/09). A Federação destaca que em nenhum desses atos, motoristas ou empresas do setor de transporte estão presentes, sendo movimentos isolados e praticados por profissionais autônomos que não fazem parte da Federação.

A entidade reforça ainda que desconhece o teor da pauta e salienta que o direito de ir e vir das pessoas que estão nas estradas bem como dos transportadores que necessitam trafegar levando suas cargas, precisam ser respeitados. Vale destacar ainda que, nestas localidades onde ocorrem as manifestações, cidades correm o risco de desabastecimento de produtos essenciais que chegam via transporte rodoviário.

Por fim, qualquer pauta de reivindicação deve ser resolvida com diálogo entre as categorias e autoridades competentes, sem que se prejudique o tráfego em estradas ou dentro das próprias cidades.

Federação das Empresas de Transporte de cargas do Estado do Paraná -FETRANSPAR”